Impeachment: Diálogos com Lúcifer, Maluf, Temer e Cunha. Por Plácido Faria

O Brasil serve de palco para uma comédia de fazer inveja a qualquer dramaturgo. Na Divina Comédia, os poetas Dante e Virgílio começaram a descer os nove círculos do inferno, as primeiras pessoas que a dupla encontrou foram os sábios da antiguidade. Dos pecadores, eram os mais inocentes. Depois, atravessaram o vale dos ventos, prosseguiram o lago de lama no qual os glutões se atolavam no próprio vômito. Os poetas seguiram para baixo até pararem junto a uma lagoa de águas lodosas, onde os condenados pela ira se debatiam, enquanto os condenados pela tristeza e preguiça eram presos ao fundo do lodo, e ali se afogavam eternamente. Nesses lugares puniam-se os menos graves dos pecados. Depois da cidade de Dite, encontravam-se os piores pecados. O círculo da heresia, o círculo da violência, o círculo da fraude e, no último degrau da pusilanimidade, o círculo da traição, onde vive Lúcifer, de quando em vez, burla a vigilância. No momento foi atraído pela mesma energia que emana de longe, e está trabalhando no Brasil.

Lúcifer veio deslizando de Dite, de braços e abraços com Temer, Cunha e Maluf, num romance astral. Acertado o projeto de dominação, ele ficou maravilhado com o terreno fértil que é o Brasil, por sua vez, Maluf postulou vôo maior, quer ser beatificado pelo papa. A comédia que não é divina ganhava agora uma equipe forte para engendrar novas tratativas. Depois de uma pequena reunião, Lúcifer reconheceu a liderança de Cunha, renunciou à presidência do processo ocupando na trindade (Cunha, Temer e Maluf) o papel de conselheiro neste desiderato. Precisava, ainda, conhecer o restante da fina flor da capadoçagem do Brasil. Notou logo que se fizéssemos um concurso, cujo o troféu seria o reconhecimento do mais vil, putrefato e asqueroso, seria difícil a escolha do contemplado, o critério final, para ser justo, deveria ser o sorteio. Imaginem que o desclassificado do Roberto Jefferson assumiu a presidência do PTB. Ele tem seguidores, comparsas e escórias de sua estatura, afora, aliados do quilate ou literalmente late, como: Paulinho da Força Sindical e Agripino Maia.

Vale registrar que 60% dos congressistas que pretendem afastar a presidente Dilma, enfrentam diversas acusações que variam de fraude eleitoral até homicídio. O clima é de festa antecipada, proporcionalmente o legislativo brasileiro contém 40% de criminosos, em tese, mais do que o sistema penitenciário. Em pleno século XXI, a surpresa foi grande. Nunca se pensou que nos dias atuais vivenciássemos mais de 120 dias de Sodoma, de degradação moral na política e nas instituições brasileiras. Os capadócios do Brasil estão unidos para recuperar o poder que sofreu um revés na dominação da classe menos favorecida.

O interessante é que boa parte da opinião pública é totalmente inconsciente aos acontecimentos, poucos dos integrantes tem ciência para opinar, num assunto que é de maior importância na vida de qualquer cidadão, posto que, a política manda em suas vidas. Se pedir uma manifestação individual, a quantidade é infinitesimal dos que tem condições em descrever, oral ou por escrito, um discurso ou redação, com início, meio e fim. Não analisam a história, as causas, as consequências e as críticas são infantis, como por exemplo: a corrupção; o preço da gasolina e do supermercado. Em momento algum se lembram do passado “os inocentes úteis” estão anestesiados, não deixa de ser uma comédia o balbuciar de palavras indecifráveis e inaudíveis. Gritam, batem panelas, manifestam as suas frustrações de diversas maneiras. A massa amorfa, é a mesma que frequenta os campos de futebol, com vivacidade e energia forte para xingar a mãe dos juízes e os jogadores do time adversário.

As frustrações pessoais são uma sujeira que diferem a do rio, quando deságua no mar. No caso, o poder constituído é responsável por qualquer desacerto na vida privada dos frustrados. Se o pênis não fica na posição ereta, a culpa é da economia, nunca é por falta de tesão. Se homens e mulheres não encontram o amor desejado, se as amizades são desfeitas, se existe insucesso profissional, enfim todos os maus tratos da vida deságuam no poder constituído. Parafraseando o populesco, no país Brasil, tem culpa todo mundo, só não tem culpa eu!

Maluf, com a ajuda de Lúcifer, já fez o seu discurso de posse, como um papa da nova igreja do Brasil, afinal de contas, foi um acinte para o Brasil ter um papa argentino. O início do discurso começa assim: larguei a política, assumo o compromisso solene perante o meu rebanho, quero algo mais eterno, profundo do que uma transa política sensual. Quero convidar vocês a ficarem colado à pele de Cunha, beliscando um saco de Temer, (o outro na caminhada do poder foi arrancado), quero gozar no céu, pode ser no Vaticano ou no Congresso. Lúcifer responde: vamos antes derrubar Dilma e o PT, eles são muito burros, deram colher de chá aos movimentos sociais, fizeram o Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida, deixaram o camaleão do Rodrigo Janot na Procuradoria Geral da República, nomearam Fachim para o Supremo, colocaram na Casa Civil o desajeitado Aloizio Mercadante, fizeram composição com o PMDB, não cortaram as asas de Sérgio Moro e deram autonomia a Polícia Federal para apurar a corrupção. Dilma sancionou a famigerada Lei da Delação Premiada. E por último, se Lula for corrupto, é um ladrão pé-de-chinelo, ser acusado de possuir um tríplex em Guarujá e um sitiozinho é demais! Eles tem que ser defenestrados do poder, não importa que não tenham cometido crime, a burrice não está entre os 7 pecados, pois está acima deles.

A trindade propõe a Temer as novas mudanças, sem prescindir do conselheiro Lúcifer, quais sejam: Ministério da Merenda Escolar, Geraldo Alckmin; Ministério da Legalização da Maconha, Fernando Henrique Cardoso; Ministério da Intolerância Racial, Jair Bolsonaro; Ministério do Combate ao Crime Organizado, um dos irmãos Marinho, da Globo; Ministério da Avião Civil, Aécio Neves; Ministério de Combate ao trabalho escravo, Ronaldo Caiado; Presidente do Supremo, Sérgio Moro; Presidente da Petrobrás, Roberto Jefferson; Ministério do Meio Ambiente, Marina Silva.

O trem está chegando, pode descarrilhar antes da estação, é o último da zero hora. Lá vem Lúcifer, vem de braços e abraços com a trindade do bem num romance astral.

 

Pplacido faria 500x500lácido Faria
Advogado e comentarista político.
placidofaria@yahoo.com.br

 

Cantor Miller Ramos lança EP de Pagode Baiano

O cantor e compositor Miller Ramos, ex-vocalista da Banda Paparicco, lança às 12h da próxima sexta-feira (25/09), o EP Pode Dançar, com quatro faixas inéditas, que serão...

Cantora Pamela Hutchinson morre aos 61 anos

A cantora Pamela Hutchinson, do tema 'Best of My Love', do grupo The Emotions, morreu aos 61 anos. Representantes da banda confirmaram a notícia no Facebook. "Estamos...

Me Gusta: pagodão do ÀTTØØXXÁ, banda Didá e Salvador no novo clipe de Anitta

Fotos e vídeo: divulgação Promessa de novo hit, que será lançado nesta sexta (18), a nova canção da cantora carioca tem produção musical e identidade baiana do grupo...

FGM participa de mostra audiovisual online nesta terça-feira (15)

A Fundação Gregório de Mattos participa, nesta terça-feira (15), da 16ª edição do Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (Enecult), apresentando documentários e curtas-metragens premiados por meio...