Coluna do Meio: novatos e renovação na ALBA; o contra-ataque do Leão

1. Operação de guerra: Pré-candidato ao Senado, João Leão (PP) está com todo gás, parecendo um jovem de 44 anos. Esse final de semana, intensificou a agenda de articulação política. Soube, inclusive, que está esvaziando alguns partidos da base do governador Rui Costa. Anota aí: mais três deputados estaduais vão sair da base governista e estão de malas prontas.

2. Operação Secretaria: os deputados Marquinho Viana, Jurandir Oliveira, Vitor Bonfim, Junior Muniz e Josafá Marinho se organizaram e pediram uma reunião com Rui. O objetivo é conseguir uma Pasta. Ao IB, Marquinhos confirmou a articulação e argumentou que “tem muitos prefeitos para dar apoio”. Além disso, “se existe o espaço, tem que dar pros aliados”.

3. Recado: O prefeito de São Gabriel, Hipolito (PP), enviou mensagem ao Informe Baiano via Instagram sobre uma reportagem onde o governador Rui Costa (PT) revela que 80 prefeitos do PP apoiariam Jerônimo Rodrigues (PT): “Faz medo não Rui. Eu sair faz tempo e vários outros colegas estão só esperando o momento certo! Não se iluda!”.

4. Recordar é viver: Em 2002, ano que o PT ganhou pela primeira vez a presidência da República, o carlismo conseguiu resistir na Bahia. Com a força de ACM, Paulo Souto foi eleito governador. Quatro anos depois, Jaques Wagner deu troco. Já em 2010, Wagner virou o placar contra Souto. Em seguida, 2014, o PT chegou mais uma vez forte com Rui, que tinha o apoio de Lula, Wagner, Dilma e as máquinas estadual e federal: nova vitória. Na reeleição de Rui, com alto índice de aprovação, foi praticamente W.O. O atual governador venceu Zé Ronaldo com 75% em 2018. Chama atenção que naquele ano, sem a máquina federal e com alto desgaste, o PT perdeu a eleição nacional para Jair Bolsonaro, mas resistiu na Bahia.

5. Briga boa: De um lado um gestor jovem e reconhecido em todo estado devido ao trabalho executado em Salvador; do outro a força do melhor presidente da República para as pessoas mais humildes. E aí, a maioria votará em ACM Neto ou Jerônimo Rodrigues? Correm por fora o policial antifascista Kléber Rosa (PSOL) e o professor Giovani Damico (PCB). Há ainda João Roma, ministro de Bolsonaro, que pode desistir do Governo para disputar o Senado Federal.

+COLUNA DO MEIO: os favoritos da Câmara Federal, o povo opina e anota aí a chapa completa de ACM Neto

6. Bomba bolsonarista: A notícia de que o presidente Jair Bolsonaro (PL) articula para João Roma (PL) ser candidato ao Senado Federal ao invés de disputar o governo baiano gerou apoio da maioria dos bolsonaristas. O presidente, na sua visita em Salvador na última semana, limitou-se a dizer que Roma poderá disputar o governo. Portanto, reforçou o que já circula nos bastidores. Mas vale ressaltar que nesse momento o ministro é pré-candidato ao governo.

7. Josias Gomes, deputado federal licenciado do PT: “Prevejo a campanha de Jerônimo muito parecida com a primeira de Rui Costa. Quando a maioria das baianas e baianos soube que ele fazia parte do Time do Trabalho, liderado por Lula e o PT, o homem disparou”.

8. Antônio Elinaldo (União), prefeito de Camaçari: “Quem conversa muito são nossos adversários. Nós temos é que trabalhar para ter uma vitória, se possível, no primeiro turno”.

9. Fala povo: o neocarlista Franklin ‘Coroa’ Sales, de Pau da Lima, acredita que em Salvador ACM Neto vai ter nova votação histórica. “Lembra de Alice Portugal que foi aquela cacetada? Salvador vai bater 75% e pode ser mais. O povo só fala ACM. É por isso que tá todo mundo pulando pro lado de cá. Anote aí contra ‘Jeremias’: 75% a 15%”.

10. Renovação: Por fim, a coluna traz hoje a lista dos 20 políticos que nunca foram deputados e que nesta eleição tem chances de chegar ao parlamento estadual. A expectativa é que, independente de partido, acima de 45 mil votos, garante uma vaga. Porém, há chances de vencer com muito menos do que isso. Na última eleição, o deputado eleito com menos votos foi Júnior Muniz, que teve 21.058. Ao todo, são 63 vagas. Acredita-se que a renovação seja em torno de 25%.

Marcinho Oliveira (União Brasil) – Foi vice-prefeito de Santaluz, é ligado ao presidente da Câmara Arthur Lira (PP) e também uma das duas apostas do deputado federal Elmar Nascimento (União). Já ocupou cargos políticos importantes, como por exemplo, a coordenação do programa Luz para Todos. O empresário tem como principal objetivo a atuação em defesa da agricultura familiar e consequentemente, a produção do campo, bandeira majoritariamente defendida por deputados ligados à esquerda. Votação acima de 70 mil.

Angelo Filho (PSD) – Foi forjado nas eleições e coordenou as campanhas vitoriosas do seu pai, o senador Angelo Coronel, e do seu irmão, o deputado estadual Diego Coronel, em 2018. Agora tem como missão encarar as urnas. Nos bastidores, a conta é que o jovem político vai ter votação considerável em pelo menos 50 municípios. Votação acima de 70 mil.

Carol e Carla Moraes (PSDB) – Trata-se do Mandato Coletivo Liga dos Animais, que vai ser coordenado pelo ex-deputado Marcell Moraes, impedido de participar do pleito desse ano. As duas jovens tem trabalhos relevantes em instituições de proteção animal, a exemplo da ONG Geamo. O grupo também tem histórico positivo em eleições e já conseguiu vencer duas disputas para ALBA e três para a Câmara de Salvador. Votação acima de 45 mil.

Junior Nascimento (União Brasil) – Vereador de Campo Formoso, deverá ser um dos políticos mais bem votados da região Norte. Conta com o apoio de pelo menos 15 prefeitos. Chega forte. Votação acima de 50 mil.

Emerson Penalva – Filho de Esplanada, é vereador de Salvador e tem o apoio de diversos segmentos empresariais. Tem forte ligação com o prefeito de Salvador, Bruno Reis, responsável por lança-lo na disputa. Faz uma dobradinha de ponta a ponta com o presidente da Câmara de Salvador, Geraldo Júnior. O ‘jeitoso’, como é conhecido nos bastidores, ainda não definiu o partido. Conversa com cinco legendas, entre elas MDB e União Brasil. Votação acima de 50 mil.

Tancredo Isidório (Avante) – Filho “carrancudo” do Pastor Sargento Isidório, deverá herdar os votos do irmão que partiu precocemente esse ano após um acidente em Madre de Deus. Não tem uma imagem muito positiva dentro da Fundação Dr. Jesus e seu resultado eleitoral para vereador de Salvador foi desastroso, alcançando apenas 961 votos. Porém, eleição estadual é eleição estadual e municipal é municipal. Acredita-se que o pai, eleito em 2018 com 323.264 mil votos, deverá lhe impulsionar. Votação acima de 60 mil.

Vitor Azevedo (PL) –
Chefe de Gabinete do Ministério da Cidadania, atua eleitoralmente de forma contudente e tem apoio total de João Roma, pré-candidato ao Governo ou ao Senado Federal. Votação acima de 60 mil.

Soraia Cabral (PP) – Assistente social e primeira-dama de Candeias, município onde a gestão é aprovada por 76% da população, tem prestígio, sobretudo, na RMS e no recôncavo baiano. ‘Sol’ ficou conhecida na política devido ao trabalho aguerrido em movimentos sociais quando era filiada ao PT e PCdoB. Também foi responsável pela coordenação das campanhas vitoriosas do prefeito Pitágoras. Votação acima de 45 mil.

Kátia Bacelar (PL) – Irmã do hábil deputado federal João Bacelar (PL), já disputou uma vaga para o parlamento estadual em 2018 e bateu na trave. Agora chega com uma campanha mais organizada e um partido que beneficia ainda mais seu objetivo. Votação acima de 45 mil.

Isaac Carvalho (PT) – Ex-prefeito de Juazeiro, teve mais de 100 mil votos para deputado federal na última eleição. Ganhou, mas não levou porque estava com os direitos políticos suspensos. Atua com força na disputa eleitoral e deverá ser um dos mais votados da legenda de Lula. Votação acima de 45 mil.

Hélio Ferreira (PCdoB) – Vereador de Salvador e principal líder dos rodoviários da Bahia, tem um grupo organizado e coeso. Nos bastidores, acredita-se que será um dos candidatos mais bem votados da oposição em Salvador. Também tem forte atuação no recôncavo baiano. Votação acima de 40 mil.

Lucinha do MST – Ligada ao deputado federal Valmir Assunção e com expressiva força dentro do Partido dos Trabalhadores, é uma das apostas da legenda de Lula para as eleições. Em 2019, disputou a presidência do PT e obteve mais de 5 mil votos. Atualmente, é secretária Nacional de Movimentos Populares do PT. Votação acima de 40 mil.

Débora Santana (Avante) – Vereadora de Salvador, enfermeira e com forte atuação no segmento religioso, vai herdar os votos do pai, o deputado estadual Carlos Ubaldino. É política profissional. Trabalha para ser a mais votada no Avante ou ficar em segundo lugar. Votação acima de 40 mil.

Cláudio Tinoco (União) – Vereador de Salvador e ligado ao pré-candidato ao governo ACM Neto, representa diversos segmentos, entre eles o trade turístico. Vai ser bem votado na capital e na região da Chapada. Votação acima de 40 mil.

Jordávio Ramos (PSDB) – Nasceu na política e é filho da prefeita de Juazeiro, Suzana Ramos, que surpreendeu na última eleição municipal ao derrotar o petista Paulo Bonfim com quase o dobro dos votos. Jordávio conta com o apoio do deputado federal Adolfo Viana e da maioria dos vereadores de Juazeiro, além de prefeitos e ex-prefeitos da região norte e da microrregião de Irecê. Votação acima de 35 mil.

Soane Galvão (PSD) – Esposa de Marão, prefeito de Ilhéus, quer ser a representante do sul baiano no parlamento estadual. Secretária municipal de Desenvolvimento Econômico e Inovação, é uma defensora do engajamento das mulheres no mercado de trabalho e na política. Votação acima de 30 mil.

Adriano Meireles (SD) –
Ex-vereador de Salvador, pode ser uma surpresa esse ano e tem corrido trecho junto com seu federal Alipinho da Doce Mel. “Montador de partido”, perdeu a eleição para vereador de Salvador em 2020, mas teve boa votação. A expectativa é que seja eleito deputado com a menor quantidades de votos na Bahia. Votação acima de 25 mil.

Silva Neto (PDT) – Ex-prefeito de Araci, é apadrinhado político do deputado federal e pré-candidato ao governo Félix Mendonça Júnior. Na região sisaleira, deverá surpreender. Votação acima de 30 mil.

Raimundo da JR (União) – Empresário bem sucedido, quer ser chamado de autoridade. Já perdeu algumas eleições e agora chega forte graças ao apoio de figurões da política baiana, a exemplo de Elmar Nascimento e Marcelo Nilo. Será bem votado em Dias d’Ávila (RMS) e cidades do extremo sul. Votação acima de 30 mil.

Rebeca Bolsonaro (PL) – Advogada, tem atuação forte no movimento bolsonarista e nas redes sociais. Surge com grandes chances, mas não tem nenhuma experiência eleitoral. É ligada ao secretário Nacional de Cultura e capitão da PM, André Porciuncula, que disputará uma vaga para deputado federal. Votação acima de 25 mil.

ATENÇÃO: Na próxima semana, com a arrumação partidária praticamente finalizada, sai o levantamento sobre a disputa por uma das 63 vagas na ALBA.

Coluna do Meio: favoritos para deputado estadual, BBB da vice e a “chapa remoçada”

Últimas Noticias

Lei que amplia Prouni para estudantes de escolas privadas é sancionada

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a Lei 14.350/2022 que amplia o acesso ao Programa Universidade para Todos...