More

    Coluna do Meio: a velha política de Marcelo Nilo, o voto feminino e o território do Sisal

    Carfanaum: A prefeita Sueli Novaes (PL) disse em março que aumentaria o salário dos professores no mês seguinte, mas não cumpriu a promessa e ainda por cima enviou para a Câmara Municipal um Projeto de Lei que “acaba com a carreira dos professores”, segundo relata representantes dos servidores municipais. O acordo seria o reajuste do salário dos profissionais de Educação em 33,34% e segue o que determina a Lei Federal 11.738. A categoria, é claro, está revoltada: “escandaloso projeto que tem como objetivo tirar diversas vantagens dos professores, a exemplo da AC (Atividade Complementar) e a Regência de Classe”.

    E esse trio parada dura?

    Três policiais mortos em menos de 24h no bairro de Cajazeiras, na capital, esse final de semana. A região, que tem mais de 500 mil habitantes, conta apenas com três viaturas da companhia que patrulha a área e há meses é palco de uma guerra entre traficantes. Os homicídios escancaram a incompetência, o descaso e a falta de gestão do governo na área da segurança pública.

    Território do Sisal ou região sisaleira: São 20 municípios e cerca de 800 mil habitantes. Pelo menos 12 prefeitos deverão apoiar o pré-candidato governista Jerônimo Rodrigues (PT), outros 5 o oposicionista ACM Neto (UB) e um João Roma (PL). Há também pelo menos dois gestores “aguardando” o desenrolar da campanha. Teoricamente, o cenário é mais favorável ao PT. Daí a importância da vice-governadora ou vice-governador ser dessa região.

    Pulou: O prefeito de Santaluz, Dr. Arismário, que é ligado a Marcinho Oliveira, anunciou que apoiará o pré-candidato Jerônimo Rodrigues ao governo. A decisão do gestor surpreendeu e muito os bastidores, apesar das investidas pesadas do governador não serem nenhuma novidade.

    ‘Galega de Serrinha’: A possível escolha de Edylene Ferreira para vice-governadora representa matar dois coelhos com uma cajadada só. Além de ser uma das mulheres que mais grega votos atualmente, pois todos os vereadores a conhecem, é da região do Sisal, que seria até então um reduto petista.

    ‘Galega de Serrinha II’: O nome da ex-presidente da Câmara de Serrinha em uma eventual vice de Neto deixou a empresária Eleusa Coronel, esposa do senador Angelo Coronel, mega feliz. Eleusa coordenou um dos projetos mais bem sucedidos da Bahia na área social nos últimos anos, a Assembléia de Carinho. Caso Edylene seja realmente a vice vai ficar mais difícil ainda para a família Coronel votar em Jerônimo/Geraldo Júnior. Mas Otto Alencar senador ela não abre mão. Que problema para o senador apaixonado!

    ‘Galega de Serrinha III’: Em discurso esse final de semana na região do Sisal, os pré-candidatos ACM Neto (União) e Cacá Leão (PP), governador e senador, respectivamente, chamaram a vaqueira do Republicanos de pré-candidata, mas não especificaram o cargo. É mais um sinal que a presidente da União dos Vereadores da Bahia (UVB) tem chances reais de ser escolhida como vice-governadora.

    PDT gostou: Integrantes do time de Ciro Gomes e Félix Júnior receberam a notícia sobre a possibilidade divulgada pelo Informe Baiano em primeira mão como algo positivo, já que é “extremamente necessário discutir o voto feminino e os projetos para as mulheres”.

    Velha política: Marcelo Nilo, caso seja escolhido para vice-governador, representa uma contradição para ACM Neto, que sempre pregou a renovação na política. O ex-presidente da Assembléia Legislativa da Bahia (ALBa) por 10 anos, inclusive, para conseguir a tão desejada vaga de vice-governador utilizou a seguinte estratégia. Ele dividiu seus votos com os deputados federais e com isso, força esse grupo de parlamentares a pressionar Neto.

    Encontrão: A equipe de campanha da chapa majoritária do União Brasil/PP/Republicanos estuda dividir em breve as equipes. Com isso, Neto, Cacá e a provável vice-governadora Edylene seguiriam cada um para um território, onde deverão realizar diversas reuniões. Logo depois, fazem um ‘encontrão’ com a presença dos três pré-candidatos. A ideia, com isso, é dar a volta na Bahia pelo menos duas vezes. “Isso é possível porque todos da chapa de Neto, incluindo a vice ou o vice, conhecem os 417 municípios. Ao contrário do PT, que só quem tem voto é Otto”, relatou um integrante do UB.

    Fã número 1: Átila do Congo virou um grande admirador do arquiteto da favela, Sandro Bahiense. Antes, ele vivia tramando e falando mal do ex-fuzileiro, mas agora tudo mudou. Inclusive, o político do Uber curte todas as postagens de Bahiense.

    Últimas Noticias

    SDE assina protocolos de intenções que preveem investimentos de R$ 89,6 milhões

    A Bahia prevê receber o investimento privado de R$ 89,6 milhões com a implantação e ampliação de 13 unidades...