Estética: tratamentos não invasivos atuam na correção de olheiras

Há tempos que o aparecimento de olheiras é relacionado a noites mal dormidas. Em alguns casos, isso pode até acontecer, mas há múltiplos fatores. Dentre as principais causas estão: fatores genéticos, a exposição à luz solar, que pode causar manchas na pele que pioram as olheiras, atrofia debaixo dos olhos, perda de gordura e colágeno que gera profundidade na região, o que dá aparência de sombra e cansaço.

Atualmente, há procedimentos estéticos não cirúrgicos capazes de conseguir grande melhora em seus aspectos. O tratamento de olheiras provocadas por manchas causadas por exposição solar ou por microvasos e microvarizes, por exemplo, é feito através do uso de laser. Em alguns casos é preciso combinar como outros tratamentos a laser, ácido hialurônico, clareador, colágeno entre outros.

O dermatologista Osmilto Brandão explica que, em casos onde tenha afundamento na região, é recomendado o uso do ácido hialurônico para correção da profundidade/deficiência. Já nos casos onde haja flacidez na região, é possível tratá-la com ultrassom micro focado e lasers.

“Há um tempo, quem tinha olheiras, flacidez e bolsas abaixo dos olhos precisava recorrer a cirurgias bastante invasivas. Atualmente, existe novas tecnologia em lasers para tratamento de olheiras, com a combinação de lasers de nanossegundos e picossegundos em um pulso híbrido que alterna o estímulo. Recentemente, também chegaram ao Brasil produtos injetáveis para clarear e estimular a produção de colágeno”, explicou o profissional.

Últimas Noticias

Sono ruim afeta 65% dos brasileiros; mulheres sofrem mais

Os brasileiros dormem muito mal, e a pandemia de covid-19 pode ter contribuído para agravar ainda mais o problema....