Exemplo de imagem responsiva Prefeitura de Salvador
Informe Baiano
Exemplo de imagem responsiva Prefeitura de Salvador

Senado votará projeto que cria o programa Escola em Tempo Integral para ampliar matrículas na educação básica

Nesta terça-feira (11/07), o plenário do Senado está programado para votar cinco projetos voltados para a área da educação, com o intuito de impulsionar o desenvolvimento do setor. Entre os projetos em pauta, destaca-se o PL 2.617/2023, que propõe a criação do programa Escola em Tempo Integral, visando ampliar a oferta de matrículas na educação básica com carga horária estendida.

O projeto tem como objetivo promover uma educação mais abrangente e aprofundada, proporcionando aos estudantes uma maior imersão nos conteúdos e atividades escolares. Para viabilizar a implementação do programa, o projeto prevê um investimento de aproximadamente R$ 2 bilhões em assistência financeira, distribuídos ao longo dos anos de 2023 e 2024.

O programa será coordenado pelo Ministério da Educação e terá ainda estratégias de assistência técnica. A meta inicial do governo é viabilizar 1 milhão de novas matrículas e ampliar para pelo menos 25% o percentual nacional de alunos nessa carga horária.

A proposta é priorizar estudantes em situação de maior vulnerabilidade socioeconômica. O texto, em forma de substitutivo, já foi aprovado na Câmara dos Deputados. No Senado, a relatoria é da senadora Professora Dorinha Seabra (União-TO).

 

“O tempo de permanência das nossas crianças e jovens nas escolas é um dos menores do mundo, em média quatro horas por dia. O tempo integral já mostrou excelentes resultados. Alguns estados, inclusive, deram um grande salto na educação. Mais tempo na escola, e com um bom projeto, tem um impacto positivo na melhoria do resultado da aprendizagem. Nós acabamos de sair de uma situação de pandemia, quase dois anos sem as escolas funcionarem, então não basta só voltar para a escola com as mesmas quatro horas”, disse a senadora do Tocantins.

Os outros quatro projetos da área que também devem ser apreciados são:

PL 1.372/2022, que determina a implantação, pelo Poder Executivo, do Sistema Nacional de Acompanhamento e Combate à Violência nas Escolas, um serviço de monitoramento a ser criado em articulação com os estados, municípios e o Distrito Federal. A matéria também é relatada pela Professora Dorinha Seabra.

PL 6.494/2019, que articula a formação profissional técnica de nível médio com a aprendizagem profissional, determinando a formulação de uma política nacional para o setor. O relator é o senador Cid Gomes (PDT-CE), favorável ao projeto.

PL 2.201/2022, que obriga estados e municípios a criarem conselhos escolares e fóruns dos conselhos escolares, com parecer favorável do senador Confúcio Moura (MDB-RO).

PL 5.649/2019, que permite a servidores efetivos e empregados públicos o acesso a bolsas de pesquisa de institutos federais. A proposta tem voto favorável da relatora, a senadora Teresa Leitão (PT-PE).

Saneamento

Também volta à pauta do plenário o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 98/2023, que susta dois decretos do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que regulamentam o Marco Legal do Saneamento Básico (Lei 11.445, de 2007).

O projeto foi retirado da ordem do dia, na última quarta-feira, 5, para a negociação de acordo firmado pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e as lideranças partidárias, a pedido do líder do governo, o senador Jaques Wagner (PT-BA).

 

Prefeitura Luis Eduardo Magalhães
Prefeitura Porto Seguro

TSE multa Haddad por impulsionar busca usando nome de adversário

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira (29), por 5 a 2, multar o ministro da...