Exemplo de imagem responsivaGoverno do Estado da Bahia
Informe Baiano
Exemplo de imagem responsivaGoverno do Estado da Bahia

Seminário sobre saneamento vai reunir especialistas de todas as regiões do país

Três anos após a aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento Básico, a realidade do acesso à água tratada e à coleta e tratameno de esgoto pelos brasileiros está bem abaixo da meta estipulada pelo Marco Legal do Saneamento, sancionado em 2020, que é a universalização dos serviços até 2033. Segundo dados coletados recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2022, mais de 1,9 milhão de casas na Bahia não têm rede de esgoto. O serviço de abastecimento de água no estado chega a 84% das casas, um percentual abaixo da média nacional, que é de 85,5%. No país, o número chega a 100 milhões de brasileiros sem acesso à rede de esgoto e 35 milhões sem água tratada. Esses e outros temas estarão nos debates que ocorrerão no Seminário Nacional “Saneamento & Desenvolvimento Sustentável”, que será realizado esta semana (27 e 28) pelo Instituto Brasileiro Pró-Cidadania, no Mar Hotel, em Boa Viagem, zona sul da capital pernambucana.

O encontro vai reunir profissionais de infraestrutura, lideranças de empresas de saneamento, gestores municipais, parlamentares, membros de órgãos de controle e representantes do terceiro setor de todo o país para a troca de experiências sobre o atual cenário, apontando para os caminhos necessários para o cumprimento das normas definidas pela nova lei. A programação inclui ainda temas como a execução dos contratos de PPPs e concessões; estratégias para diferentes regiões, além da cadeia de financiamento e de estruturação de projetos para viabilização de investimentos.

Entre os participantes confirmados estão: Karla Bertocco, sócia da Mauá Capital e presidente do Conselho de Administração da SABESP; Danilo Cabral, superintendente da Sudene; Paulo Câmara, presidente do BNB; Ranilson Ramos, presidente do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, além de deputados federais e presidentes de diversas Concessionárias e das principais Associações de Setor. “O empoderamento dos municípios e da sociedade civil na questão do saneamento pode ajudar a tirar os projetos do papel e se transformar em melhorias efetivas no abastecimento de água e na coleta e tratamento de esgotos” afirma Roberto Tavares, hoje à frente da companhia de saneamento Effico, que apoia a parte técnica do evento.

Prefeitura Luis Eduardo Magalhães
Prefeitura Porto Seguro

Brasil tem mais de um milhão de casos de dengue este ano

Desde o início do ano, o Brasil registrou 1.017.278 casos prováveis de dengue e 214 mortes confirmadas pela doença....