Tenso, nervoso e chorado: Real vence o Atlético nos pênaltis e é campeão da Champions

Onze vezes Real Madrid! Tensão, lágrimas, desgaste, gols e muita vibração. Todos esses ingredientes não poderiam faltar em uma decisão de Liga dos Campeões. E não faltaram, principalmente quando os times que estavam em campo no San Siro, neste sábado, eram Real Madrid e Atlético de Madrid. A partida terminou empatada em 1 a 1 no tempo normal. Na prorrogação, o placar seguiu o mesmo. Então, veio a disputa de pênaltis. E como sempre, com heróis e vilões. Coube a Cristiano Ronaldo, apagado durante todo jogo, chutar a cobrança decisiva para garantir a vitória por 5 a 3 e o incrível 11º título da Champions para os galácticos. E quem perdeu a única cobrança para os colchoneros foi justamente Juanfran, um dos símbolos da equipe.

NERVOSISMO E FALTAS

Em uma decisão tão importante como a Champions League, é difícil manter o controle total dos nervos em campo. Quanto mais quando se trata de dois grandes rivais em campo. Assim foi o início de jogo entre Real Madrid e Atlético de Madrid. Faltas duras, muita discussão, mas apenas um cartão amarelo. O árbitro inglês Mark Clattenburg teve trabalho, chamou os jogadores para conversar e até conseguiu acalmar os ânimos e diminuir as pancadas. Quem não escapou foi o lateral Carvajal, que deu um carrinho em Griezmann e levou o amarelo.

.
DOMÍNIO TÁTICO

Quem imaginava o Real Madrid atacando a todo vapor e Atlético saindo no contra-ataque, teve uma surpresa. O time comandado por Zidane dominou o meio de campo, fechou os espaços dos colchoneros e jogou no nervosismo e erro do rival. Casemiro fez um grande primeiro tempo, na proteção aos zagueiros e com uma rápida saída de bola. Kroos e Modric foram eficientes na armação das jogadas, com Benzema e Bale dando muitas opções de jogadas. Cristiano Ronaldo, que era dúvida por conta de uma lesão na perna direita, teve atuação discreta.

 .
SERGIO RAMOS
Esse nome deve causar calafrios na torcida do Atlético de Madrid. O zagueiro foi o autor do gol que empatou a decisão no último minuto em 2014 e levou para a prorrogação. Na sequencia, o Real goleou por 4 a 1. Neste sábado, mais uma vez provou ser artilheiro das finais de Liga. Após Kroos cobrar falta na área, Bale desviou de cabeça e Ramos, impedido, tocou na saída de Oblak para abrir o placar e fazer explodir em alegria a torcida merengue no San Siro e no mundo.
.
EXPLOSÃO COLCHONERA

Se no primeiro tempo Siemone viu seu time ser completamente dominado, uma mudança no intervalo foi fundamental. O treinador colocou em campo Carrasco no lugar de Fernández. O time não só ganhou terreno, como dominou as ações e chegou ao empate com o belga que entrou no segundo tempo. Antes, porém, Griezmann perdeu um pênalti ao chutar no travessão. O fim da segunda etapa apresentou chances paras as duas equipes, mas com o Real Madrid mais desgastado e com três substituições feitas. A torcida dos colchoneros cresceu no San Siro!

.
DESGASTE

Com todas as substituições feitas, jogadores esgotados e algumas peças fundamentais não rendendo o esperado, como Cristiano Ronaldo, o Real Madrid viveu momentos de drama no fim do segundo tempo e na prorrogação. Jogadores caídos no gramado, com dores, mancando, a situação estava feia. Sorte dos galácticos que o Atlético também sentiu o jogo e o cansaço, e não conseguiu arrancar forças para virar a partida. Nem mesmo após Simeone fazer duas substituições e colocar mais gás no time.

 .
PÊNALTIS E A 11ª TAÇA

A disputa por pênaltis escancarou todo o nervosismo e qualidade das equipes. A maioria dos jogadores cobrou de forma perfeita, sem chances para Navas e Oblak. Mas Juanfran, lateral-direito do Atlético, mandou a bola na trave. Foi o segundo pênalti perdido pelo time na partida. E isso acabou sendo fatal. Cristiano Ronaldo, que não jogou bem, colocou a bola na marca da cal, correu, chutou e disparou em comemoração para mais um título europeu. Título de um time que trocou de técnico durante a temporada (Rafa Benítez saiu para a chegada de Zidane) e que mudou completamente o ritmo e intensidade de jogo. A 11ª taça vai para o museu do Santiago Bernabéu.


Fonte: Globoesporte.com

Últimas Noticias