Black Friday 2018: como escolher o melhor celular

Escolher o melhor celular pode ser desafiador porque não existem apenas aparelhos novos disponíveis no mercado. Na Black Friday, o varejo oferece descontos que tornam os produtos mais atrativos, mas você sabe qual é o modelo certo para você? De acordo com um levantamento do site comparador de preços Zoom, os smartphones mais buscados no mês que antecedeu a Black Friday foram os da Samsung e os da Motorola–nenhum iPhone apareceu na lista dos dez mais procurados. Confira, a seguir, o que você precisa saber para comprar o celular certo para você.

Pesquise o ano de lançamento

Nesse aspecto, os smartphones são como os carros: o ano de lançamento importa muito porque determina se ele tem ou não os recursos mais avançados do momento. No entanto, vale também uma breve pesquisa sobre o ano de lançamento do processador. Se ele tiver mais de dois anos, é provável que falte performance para o uso de aplicativos no longo prazo.

A categoria

Com tantos dispositivos disponíveis no mercado, entender quais são as categorias dos smartphones Android pode ser complicado. O iPhone não tem esse problema. Todos os smartphones da Apple são modelos topo de linha, o que muda é o ano. Mesmo o recente iPhone Xr tem poucas diferenças em relação ao Xs, como a tela de LED com resolução HD e a câmera que só usa o modo retrato quando detecta pessoas, e não objetos.

No caso da Samsung, as categorias de entrada e intermediária são compostas pelos modelos da linha Galaxy J. Em seguida, aparece a linha Galaxy A. O modelo Galaxy J8 é o ponto de convergência entre as duas, ele está bem perto da categoria intermediária-avançada. Depois da A, vem a linha S, que, atualmente, está na nona edição, com o Galaxy S9 e o S9+. Acima deles, há apenas a categoria Galaxy Note, que oferece smartphones com até 512 GB de espaço na memória.

No caso da Motorola, são as diferentes versões do Moto G que podem confundir. A versão mais recente é a sexta, que tem o Moto G6 e o Moto G6 Plus. Há o modelo Play, mas seu hardware é inferior ao desses outros dois produtos. A linha Moto G5, do ano passado, ainda está no mercado, assim como algumas unidades do Moto G4. Portanto, é importante ficar de olho. No segmento intermediário-avançado, a fabricante também tem o Motorola One, que é o primeiro a ser lançado no Brasil em parceria com o Google para acelerar a oferta de novas versões do Android. Acima dele, vem a linha Moto Z3 Play–o Moto Z2 Play é do ano passado.

A LG tem as linhas de entrada K, a intermediária Q e a topo de linha G, que está na sétima edição. Há também a linha V, que é vendida somente em lojas oficiais da marca.

No portfólio de produtos da Sony, os aparelhos são ordenados nas famílias Xperia L, Xperia XA2 e Xperia XZ2, sendo este último o topo de linha.

A Asus oferece todos seus smartphones sob um mesmo nome, com diferentes versões. Neste ano, os mais novos são os Zenfone 5. De baixo para cima, as versões disponíveis são Selfie, Selfie Pro, 5 e 5Z. Vale notar que a configuração de RAM e espaço na memória podem variar de versão para versão.

De olho na tela

A tela é um dos componentes mais caros em um smartphone. Portanto, se ela for grande ou tiver alta resolução, o preço será maior do que o de um dispositivo com tela pequena com menos resolução. Outro diferencial que pode aumentar o preço é a tecnologia usada no painel. De maneira parecida com o que acontece nas TVs, há duas tecnologias principais: o painel de LCD retroiluminado por LED e o Amoled, que tem pixels que se iluminam com corrente elétrica e, portanto, oferecem maior fidelidade de cores e melhor reprodução de diferentes tons de preto e cinza.

Processador

A Qualcomm está presente em um grande número de smartphones vendidos atualmente. A marca oferece processadores Snapdragon de diferentes categorias. A família 400 é a de entrada, a 600 é a intermediária e a 800, a topo de linha. Se você se deparar com um smartphone que tem processador Snapdragon 625, por exemplo, saberá que ele foi concebido como um intermediário. Já um Snapdragon 845 só será visto em um aparelho com tecnologia de ponta.

RAM

RAM é a memória volátil do seu smartphone, aquele que é usada para executar uma tarefa, mas que não grava dados permanentemente. Na categoria intermediária-avançada de smartphones, a média de RAM é de 3 GB. A orientação aqui é simples: quanto mais, melhor.

Megapixels não são tudo

A quantidade de megapixels registrados por uma câmera de smartphones nem sempre é a melhor referência. Muitos aparelhos atuais oferecem câmera dupla, seja para gerar retratos com fundo desfocado, como fazem as câmeras DSLR, seja para permitir zoom sem a deterioração do zoom digital. O senso comum faz sentido na hora de escolher um smartphone pela câmera: duas são melhores do que apenas uma. As exceções que confirmam a regra são o iPhone Xr e o Galaxy S9, que, mesmo com câmera única, podem capturar fotos com qualidade acima da média.

Quanto dura a bateria?

A duração da bateria varia de acordo com toda a composição do smartphone, tanto em termos de hardware quanto de software. O que o consumidor precisa olhar é a capacidade da bateria de armazenamento de energia, medida em miliamperes/hora (mAh). Celulares Android com 3.000 mAh ou mais tendem a ter duração de bateria para um dia todo de uso moderado. No caso dos iPhones, de acordo com os testes feitos por EXAME, o modelo mais recente com melhor duração de bateria é o iPhone X, do ano passado. No entanto, os modelos iPhone Xs e iPhone Xs Max ainda não foram avaliados. O iPhone Xr não obteve um duração de bateria longa como a do X e chegou a durar menos até do que o iPhone 8 Plus.
*exame

Relacionados