Médico que matava pacientes para liberar leitos de Covid-19 é preso

O médico responsável pelo pronto-socorro do hospital de Montichiari, na província de Bréscia, na Itália, foi acusado de adotar uma prática totalmente fora dos protocolos: a aplicação de doses mortais de remédios inapropriados em pacientes internados com sintomas graves da Covid-19. As situações ocorreram em março do ano passado quando a Itália vivia o auge da primeira onda da pandemia.

O caso se tornou público na última segunda (25/01), depois que Carlo Angelo Mosca, 47 anos, recebeu ordem de prisão preventiva domiciliar porter matado intencionalmente pacientes com o anestésico propofol e succinilcolina, um bloqueador neuromuscular. Essas substâncias potentes são indicadas para situações de intubação pela traqueia, procedimento a que as vítimas não foram submetidas.

Na sexta (29/01), Mosca foi interrogado por duas horas e meia no Tribunal de Bréscia. Ele negou as acusações e, segundo seus advogados, deu esclarecimentos. Pouco antes das 10h, o médico chegou andando sozinho e foi cercado por jornalistas e câmeras. Em voz baixa, disse: “sou inocente”.

A juíza Angela Corvi aceitou o pedido do Ministério Público para a prisão domiciliar e justificou sua decisão dizendo reconhecer “graves indícios” de que Mosca cometeu homicídio doloso qualificado em pelo menos dois pacientes: Natale Bassi, 61, e Angelo Paletti, 79.

Mosca, segundo profissionais de saúde, pedia que alguém buscasse um ou os dois medicamentos e os aplicava quando estava sozinho. No caso do paciente Bassi, ele pediu que a equipe saísse da sala de emergência.

“Poucos minutos depois, a funcionária voltou, percebendo a morte de Bassi, naquele momento desacompanhado de membros da equipe. O óbito foi declarado pela doutora [nome omitido], que indicou no prontuário ‘repentina parada cardio-circulatória'”, diz o documento assinado pela juíza, com base na investigação.

No caso de Paletti, funcionários encontraram e fotografaram embalagens vazias dos fármacos na manhã seguinte à morte do paciente, ocorrida durante o plantão do médico suspeito. A investigação teve como ponto de partida a denúncia anônima de um dos enfermeiros, no fim de abril. Em princípio, foram alistadas quatro vítimas. Três corpos foram exumados -o quarto paciente foi cremado.

Veículos com placas de final 7, 8, 9 e 0 ainda contam com desconto de 5% no IPVA

Os proprietários de veículos com placas de final 7, 8, 9 e 0 ainda podem pagar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) com 5%...

Seguro Garantia-Safra é pago a cerca de 215 mil agricultores que aderiram ao programa

Por meio da articulação do Governo do Estado, junto ao Comitê Gestor do Programa Garantia-Safra, mais nove municípios baianos, que aderiram às safras verão e inverno 2019/2020,...

Prefeitura prossegue com contratação imediata para médicos do Samu

A Prefeitura, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), segue com o credenciamento imediato de médicos em regime pessoa jurídica (PJ), através de chamamento público, para atuação...

Caso Lázaro: serial killer de Brasília teria invadido chácara e furtado alimentos

O serial killer de Brasília Lázaro Barbosa continua provocando pânico e sendo caçado pela polícia. Na madrugada desta terça-feira (22/06), ele teria invadido uma chácara, em Águas...